A Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol, entrou em contato com o ex atleta e campeão mundial, Mauro Silva, atual Vice Presidente da FPF. Mauro Silva fala de sua expectativa e da FPF sobre a sequência do futebol no estado de SP e no país.


FBTF: - Se existem e quais serão as medidas (ações) que a FPF pensa em tomar para diminuir o impacto (prejuízos financeiros e burocráticos - contratos de trabalho) em socorro aos clubes e a própria FPF por conta da parada do estadual em função da pandemia? Haverá algum tipo de suporte financeiro aos clubes? Mauro Silva: "Os clubes decidiram pela suspensão das competições, e com isso o Grupo Globo suspendeu a última parcela dos direitos de transmissão aos clubes de A1 e A2. O Paulistão A3 é feito com investimento da FPF com recursos do A1 e do A2. A expectativa é que, programando a volta com datas, voltemos a ter as receitas das competições, e os clubes voltem a receber. O que temos orientado os clubes neste momento é fechar as torneiras, cortar custos, negociar com credores. A própria FPF já suspendeu metade dos contratos com fornecedores e prestadores de serviço. Mesmo voltando a receber os recursos com a volta dos jogos, a dificuldade financeira vai ser grande para todos. Será outra realidade." FBTF: - A FPF depende da decisão ou autorização de quais órgãos para retomar suas competições? Mauro Silva: "O futebol irá voltar de acordo com os protocolos médicos, os governos e autoridades de saúde. Nada é mais importante no momento do que a saúde de todos. Há um diálogo constante com clubes, CBF, atletas, sindicatos, federações e árbitros para que, no momento oportuno, nós estejamos preparados para a volta. Ou seja, quando for possível a volta, da forma que for possível, não podemos perder tempo, todos os protocolos de saúde precisam estar planejados e prontos para ser utilizados." FBTF: - Já existe uma data para o reinício? Uma previsão ao menos? Mauro Silva: "Não há data definida. Nossa estratégia é de voltar o futebol com calma e no momento oportuno. Temos nos reunido com os clubes, e a prioridade é a saúde de todos os envolvidos. O reinício acontecerá no momento correto, no momento possível, seguindo todos os protocolos médicos." FBTF: - Mauro, na sua opinião, essa experiência com a pandemia e todo o resultado negativo causado (clubes encerrando as atividades, atletas negociando seus vínculos em meio a pandemia, prejuízos diversos e incalculáveis de todos) ... Podemos tirar algo de positivo, algum aprendizado?

Mauro Silva: "O mundo não será mais o mesmo, as pessoas não serão mais as mesmas, e o futebol não será diferente. É preciso uma grande união dos clubes e de todos, uma compreensão de todas as áreas relacionadas ao futebol, pois será preciso criar um novo modelo. O futebol atual não vai existir mais, não com estes números, essas cifras. Os orçamentos serão menores, assim como no comércio, na indústria, em tudo."


FBTF

54 visualizaçõesEscreva um comentário

A FBTF Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol – parabeniza o Jornalista Rodrigo Capello do G1 pela matéria (link abaixo), e se solidariza com o bom espetáculo, com a organização, com a transparência, com a ética, com todo bom profissionalismo que cause o bem ao Futebol brasileiro! Nós também estamos sujeitos as armadilhas que toda sociedade impõe, porém a nossa unidade tem a mesma convicção de que o certo é o certo, sempre! O jornalista expõe em sua matéria algumas peculiaridades do nosso futebol e vamos pegar uma carona no tema!


https://globoesporte.globo.com/blogs/blog-do-rodrigo-capelo/post/2020/05/05/seis-clubes-da-primeira-divisao-descumprem-leis-ao-nao-publicar-demonstracoes-financeiras-de-2019-quadro-e-pior-na-serie-b.ghtml


É preciso que analisemos este debate pela seguinte ótica... Criou-se um pessimismo, uma desconfiança depois dos 7 x 1 sofrido diante da Alemanha. Temos a sensação de que os Treinadores Vicente Feola, Aymoré Moreira, Mário Jorge Lobo Zagallo, Carlos Alberto Parreira e Luiz Felipe Scolari, todos campeões mundiais, nada fizeram. O Treinador de Futebol Brasileiro recebeu a “marca da besta” na testa!


É impossível assistir a uma partida de futebol hoje no Brasil, sem atribuir algo de ruim ao Treinador de Futebol. Os adjetivos vão do inculto ao prepotente, do antiquado ao falastrão. Não importa o que se faça, se é o Treinador... está errado! Ao analisarmos o ambiente que nos cerca a sensação é de que realmente estamos no centro deste universo, não movidos pela arrogância de quem isso deseja, mas porque no nosso entorno gira toda má sorte de impropérios e cobranças muitas vezes sem critério e qualquer embasamento. Simplesmente se você perdeu uma partida, você é ruim! Será essa uma verdade? Muitas vezes quem analisa um jogo o faz sem conhecimento, sem embasamento técnico, com o achismo comum, sem qualquer experiência na prática, desconhecendo o que se passa por trás da cortina do glamour tão comum ao futebol. Não é incomum análises carregadas de ofensas, humilhação e maldade. Tudo jogado no colo do torcedor, temperado e preparado com o destempero e o despreparo. A quem interessa isso e o que há por trás deste pano de fundo?


Voltemos à matéria..


O efeito cascata provocado no futebol brasileiro pela administração temerária, pelo desprezo e escárnio diante das leis que regem o Futebol Brasileiro tem nome e endereço certo. O RESULTADO! Cedo ou tarde, alguém vai pagar essa conta. Até aqui, a vítima e o réu desafiam a física e ocupam o mesmo corpo, o do Treinador. O resultado está aí para quem quiser ver! Infelizmente clubes sem estrutura, sem ética e sem transparência. Clubes sem gestão ou de má gestão, do conselho fiscal que aprova com restrição, do estatuto que se debruça e se acomoda em interesses escusos, do gestor que posterga dívida e nega o salário do trabalhador. Do gestor irresponsável, sem qualquer zelo e respeito pelos direitos trabalhistas, que passa cheque sem fundo, que desdém da desgraça alheia, mas empenha-se em perpetuar-se no poder, que mente e trata o torcedor com pão, circo, ingressos e outras gentilezas... É esse o Futebol que todo domingo aponta o dedo em riste na cara do Treinador e cobra pela vitória. É esse, o Futebol que mais demite Treinador de Futebol no mundo!

E você ainda continua achando que o Treinador é o único culpado pela derrota?


O Futebol transparente não é o que se vê, mas o Futebol que não se esconde!


Editorial FBTF


"Todas as mudanças pretendidas por nós Treinadores esbarram nos clubes que votam contra! Existe Treinador que ao ser contratado pelo terceiro clube no ano e sequer recebeu dos dois últimos empregadores!


Somos sempre convocados pela CBF para discutir os temas de interesse da classe, em uma delas os clubes votaram contra o limite de duas trocas de Treinador por temporada. Os estatutos dos clubes devem ser revistos e subordinados a uma lei que avalie a saúde financeira dos clubes, (Fair Play Financeiro) que regule as contratações, o tempo mínimo de contrato, que fiscalize e sujeite à punição todo mal pagador."


Zé Mário

Presidente FBTF

  • Instagram
  • https://www.youtube.com/channel/UCu7Z2EIv8N3IoUpMK5E-H-A
  • Facebook
  • Twitter ícone social

FBTF / CNPJ nº 19.173.271/0001-77 / Rua Professor Gabizo, nº 237, Bairro da Tijuca, Rio de Janeiro – CEP 20.271-064 / E-mail: contato@fbtf.com.br 

Todos os direitos reservados a PIN Int Neg