ENGENHEIRO de OBRA PRONTA



ENGENHEIRO DE OBRA PRONTA


FALA DEMAIS

É muito interessante a análise do jogo que tenho visto de quem trabalha com o futebol, dentro ou fora dos gramados. Os treinadores portugueses declaram que o que aconteceu foi treinado e por isso aconteceu. A mídia analisa o jogo sem acompanhar treinos ou conhecer a fundo o dia a dia nos clubes. Gente que desconhece a razão das coisas e fala pelos cotovelos depois que as coisas já aconteceram.


MÃE DINÁ

Gostaria muito de ver os treinadores portugueses e nossos analistas de futebol, prevendo nas entrevistas e análises que concedem, o que vai acontecer no próximo jogo baseados no treinamento que aplicaram ou na análise que fizeram do treino na semana. Se acertarem 30% da previsão, eu sumiria do futebol. Só 30%!


AS SURPRESAS DO JOGO

Nós, que construímos a carreira dentro do campo de jogo, sabemos que a repetição através do treinamento desenvolve a técnica, a qualidade tática e estimula a criatividade do Jogador de Futebol. Em se tratando de futebol brasileiro, não abrimos mão de investir no desenvolvimento cognitivo do atleta para que ele reaja de forma automática e criativa aos estímulos que for submetido no jogo, tomando as decisões certas neutralizando as “surpresas” (variações táticas e improvisos técnicos) que o adversário apresentar no jogo.


MÃE DINÁ II

É impossível prever o que vai acontecer dentro do campo na hora do jogo. As improvisações dos jogadores, os erros, os árbitros, o gramado, a chuva, o vento, a contusão, a falta de pagamento do salário que causa um desgaste emocional antes do jogo muito grande, a alimentação, problemas de família e etc..


ANALISANDO O DESEMPENHO DO PASSADO

Hoje em dia, até o analista de desempenho “dá pitaco” no jogo! As estatísticas servem para você estruturar o seu trabalho baseando-se nos dados coletados. Mas as estatísticas não são 100 % aplicáveis considerando as “variáveis” da partida seguinte. As estatísticas servem para nos mostrar se estamos planejando bem no presente, olhando para o passado. Mas e quanto ao que não se pode determinar no futuro?


OPINIÃO

Quando o caldeirão ferve é um “deus nos acuda!” Na minha opinião, tudo que se tem falado do jogo depois do jogo, tem “enganado muito otário" por aí!


O QUE FAZER?

Nas entrevistas os treinadores brasileiros devem fazer o mesmo que os treinadores portugueses. Analisar para a imprensa as variantes de posicionamento tático, o que foi treinado, a reposição da bola nos arremessos laterais, as cobranças de faltas, a marcação na “zona do agrião”, ou melhor, no último ou no primeiro terço e etc.. Por fim, se não ganharam o jogo é porque os jogadores ainda não estão com confiança ou não executaram bem o que foi determinado.


Me engana que eu gosto!!


José Mário

Ex Atleta

Treinador

Presidente FBTF

112 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo