• FBTF

Ceni errou?


Ética


Segundo alguns “analistas” do futebol sim! Vamos aos fatos... Rogério Ceni quando foi acionado pelo clube da Gávea deixou claro que não abriria qualquer negociação até que o cargo de Treinador estivesse vago e que o Fortaleza fosse notificado. Foi ético e respeitou as regras estabelecidas no contrato assinado com o Fortaleza, inclusive com o pagamento da rescisão na sua saída. Então, o único erro do Rogério Ceni foi pensar na sua carreira?

Sem Hipocrisia


Todo trabalhador luta pelo cumprimento do seu contrato de trabalho, seja o tempo de duração, o pagamento do serviço prestado, as condições de trabalho e até mesmo quando necessário, as multas rescisórias. O Treinador de Futebol assim como qualquer trabalhador, deseja o crescimento na sua carreira. Estamos assistindo a muitos Jornalistas trocando de emissoras por trabalhos, projetos, salários melhores, e não vejo a classe se manifestar contrária a isso. Que nome podemos dar a esse tipo de comportamento?

Analista de Futebol


No mundo de quem tem a faculdade mental alinhada com os valores morais essenciais à vida, que trabalha pelo pão de cada dia, estuda, se forma, torna-se profissional capaz e almeja o sucesso em sua carreira! É natural que este carregue dentro de si o desejo do reconhecimento e da valorização. O Treinador de Futebol também. Ou o "analista" pensa diferente?

Capitalismo


Poderíamos ficar aqui escrevendo linhas e linhas sobre os riscos e as mazelas da profissão do Treinador de Futebol no Brasil, mas eles são conhecidos e não seremos enfadonhos. Na visão de muitos analistas, Ceni errou pela ética não cumprindo seu projeto com o Fortaleza. Esses não levam em conta ou fingem desconhecer a liberdade que o clube também exerce quando demite o Treinador. O problema já identificado nas demissões dos Treinadores está na transferência de responsabilidade e a ineficácia da troca de comando, como aponta a estatística.

Coerência


O que precisa ser analisado e isso não é feito, não sabemos se por incapacidade ou maldade de quem analisa é que até mesmo no ambiente capitalista e da meritocracia, podemos, devemos ser éticos e ter a liberdade para crescer na nossa profissão. O desejo de acusar e penalizar Ceni por tentar avançar na sua carreira trocando de empregador - mesmo Ceni sendo ético e cumprindo as regras do contrato - parece coisa de quem anda frustrado com a própria carreira.

A prédica e a prática


Infelizmente muitos “analistas de futebol” fazem suas previsões ou tiram suas conclusões sobre as ocorrências no mundo da bola baseados em suas próprias experiências, são míopes por excelência porque falam apoiados em seus valores. Como não temos condição de avaliar a intenção do coração de ninguém, ficamos sempre entre a verdade que não é absoluta e a hipocrisia de quem defende uma ideia. Mas.. se acontece a mesma coisa com ele.. "Faça o que falo, mas não faça o que faço!"

A pauta que interessa ao Futebol


Se está provado estatisticamente que trocar o treinador no meio da competição é um estratagema dos Dirigentes que transferem a culpa e os erros cometidos exclusivamente para a Treinador demitido, qual será a razão pela escolha de uma pauta que só atribui culpa ao Treinador? Até quando o Treinador tenta crescer na sua profissão ele é culpado! A tradição, o regulamento e o conceito precisam ser revistos no futebol brasileiro, e quem faz as pautas também! Pautar o efeito é apreciar o caos, que tal começar a se pautar pela causa? Estamos ansiosos por ver isso!

FBTF

12 visualizações
  • Instagram
  • https://www.youtube.com/channel/UCu7Z2EIv8N3IoUpMK5E-H-A
  • Facebook
  • Twitter ícone social

FBTF / CNPJ nº 19.173.271/0001-77 / Rua Professor Gabizo, nº 237, Bairro da Tijuca, Rio de Janeiro – CEP 20.271-064 / E-mail: contato@fbtf.com.br 

Todos os direitos reservados a PIN Int Neg